Vasectomia

A imagem demonstra como é feita uma vasectomia.

A vasectomia é uma forma de controle de natalidade masculino que corta o suprimento de esperma para o sêmen. Isso é feito cortando e selando os tubos que transportam os espermatozoides. A vasectomia tem baixo risco de problemas e geralmente pode ser realizada em um ambiente ambulatorial sob anestesia local. Antes de fazer uma vasectomia, você precisa ter certeza de que não deseja ter um filho no futuro. Embora as reversões de vasectomia sejam possíveis, a vasectomia deve ser considerada uma forma permanente de controle de natalidade masculino.

Esta cirurgia é uma escolha segura e eficaz para controle de natalidade em homens que possuem certeza que não desejam ter filhos no futuro, já que o procedimento é quase 100% eficaz na prevenção da gravidez. Vale lembrar que, mesmo após a realização da vasectomia, será necessário utilizar medidas anticoncepcionais para evitar a transmissão de doenças sexualmente transmissíveis. 

Pacientes com dor testicular crônica ou doenças no aparelho reprodutor não são bons candidatos para uma vasectomia. Para a maioria dos pacientes, não há efeitos colaterais perceptíveis e as complicações são raras. Logo após a cirurgia, o paciente pode apresentar:

  • Sangramento dentro do escroto;
  • Sangue em seu sêmem;
  • Hematoma no escroto;
  • Dor leve ou desconforto;
  • Inchaço.

Estas condições podem fazer parte do processo de cura após a cirurgia e devem desaparecer em poucos dias. 

Existem muitas preocupações infundadas em relação à vasectomia, levando muitos homens a acreditar em fatos que não são realidade. Entre algumas dessas crenças, temos:

  • A vasectomia afeta o desempenho sexual –  a cirurgia não afeta, de maneira nenhuma, o desempenho ou desejo sexual dos homens. A única alteração relacionada à cirurgia é a incapacidade de fecundar uma parceira. Na realidade, muitos homens relatam maior satisfação sexual após uma vasectomia. 
  • A vasectomia danifica permanentemente os órgãos sexuais – há muito pouco risco de que seus testículos, pênis ou outras partes de seu sistema reprodutor sejam feridos durante a cirurgia. Em casos extremamente raros, uma lesão no suprimento de sangue pode levar à perda de um testículo, mas é improvável que isso aconteça se o seu cirurgião for experiente.
  • Aumenta o risco de desenvolver certos riscos de câncer – não há nenhuma ligação cientificamente comprovada de que a vasectomia aumenta as chances do paciente desenvolver câncer. 
  • Causa dor intensa – o paciente pode sentir uma pequena dor ou puxar durante a cirurgia, mas a dor intensa é rara. Da mesma forma, após a cirurgia, você pode sentir um pouco de dor, mas para a maioria dos homens, ela é mínima e desaparece após alguns dias.

Como devo me preparar para a cirurgia?

Seu médico pedirá que você pare de tomar aspirina, antiinflamatórios não esteróides ou outros medicamentos para afinar o sangue vários dias antes da cirurgia. Estes podem incluir varfarina (Coumadin, Jantoven, outros), heparina e medicamentos para a dor de venda livre, como o ibuprofeno (Advil, Motrin IB, outros).

Tome banho antes da cirurgia. Certifique-se de lavar bem a área genital. Corte o cabelo, se necessário.

Providencie uma carona para casa após a cirurgia para evitar movimentos e pressão na área da cirurgia causados ​​por dirigir.

O que esperar da cirurgia?

Antes de fazer uma vasectomia, seu médico vai querer conversar com você para ter certeza de que é a forma certa de controle de natalidade para você. Na consulta inicial , esteja preparado para discutir:

  • Seu entendimento de que a vasectomia é permanente e que não é uma boa escolha se houver alguma chance de você querer ter um filho no futuro;
  • Se você tem filhos e como sua(seu) se sente sobre a decisão, se você está em um relacionamento;
  • Outros métodos de controle de natalidade disponíveis para você;
  • O que envolve a cirurgia de vasectomia e a recuperação e possíveis complicações.

Além disso, antes que os pacientes realizem a cirurgia, é necessário passar por acompanhamento com psicólogo para liberar carta sobre planejamento familiar informando que o casal está de acordo com o método.

A cirurgia é rápida e leva cerca de 30 minutos. O procedimento normalmente segue as seguintes etapas:

  • Aplicação de anestesia local na pele no escroto com uma pequena agulha;
  • Realização de uma pequena incisão na parte superior do saco escrotal;
  • O médico localizará o canal deferente (tubo que transporta o sêmem dos testículos);
  • Usando calor (cauterização), o médico sela o ducto deferente. Este processo também pode ser feito amarrando ou utilizando clipes cirúrgicos para impedir a passagem do sêmem.
  • Por fim, a incisão é fechada. 

Após a cirurgia, é comum apresentar algum inchaço, dor e hematomas: eles desaparecerão em alguns dias. Se apresentar qualquer sinal de infecção, como sangue escorrendo do local da cirurgia, temperatura elevada (acima de 38 ° C) ou agravamento da dor ou inchaço, retorne ao consultório. 

Para facilitar o processo de recuperação, é recomendado apoiar o saco escrotal com uma bandagem e cuecas mais justas por pelo menos 48 horas após a cirurgia, aplicar compressas de gelo nos dois primeiros dias, evitar qualquer atividade sexual por uma semana ou mais, já que o paciente pode apresentar sangue junto ao sêmem ao ejacular. Também é importante limitar a atividade física após a cirurgia, evitando esportes, levantamento de peso e trabalho pesado pelo período de, no mínimo, uma semana. 

Após uma vasectomia, o paciente irá ejacular sêmem (fluído seminal) sem esperma (as células reprodutivas) após ter ejaculado cerca de 20 vezes. A cirurgia impede que os espermatozóides produzidos cheguem ao sêmem, sendo absorvidos pelo corpo. 

Resultados

A vasectomia não oferece proteção imediata contra a gravidez. Use uma forma alternativa de controle de natalidade até que seu médico confirme que não há espermatozóides em seu sêmen. Antes de fazer sexo desprotegido, você precisará esperar alguns meses e ejacular 15 a 20 vezes ou mais para limpar o esperma do sêmen.

A maioria dos médicos faz uma análise de sêmen de acompanhamento seis a 12 semanas após a cirurgia para ter certeza de que nenhum esperma está presente. Você precisará dar ao seu médico amostras de esperma para examinar. Para produzir uma amostra de esperma, seu médico fará com que você se masturbe e ejacule em um recipiente ou use um preservativo especial sem lubrificação ou espermicida para coletar o sêmen durante a relação sexual. Seu sêmen é então examinado no microscópio para ver se há espermatozoides.

A vasectomia é uma forma eficaz de controle de natalidade, mas não protege você ou seu parceiro de infecções sexualmente transmissíveis, como clamídia ou HIV / AIDS. Por esse motivo, você deve usar outras formas de proteção, como preservativos, se houver risco de contrair uma infecção sexualmente transmissível – mesmo depois de fazer a cirurgia. Se você deseja realizar a cirurgia, pode agendar uma consulta com o Dr. Bruno Almeida aqui.