Os Efeitos do Cigarro na Saúde Masculina

Que o hábito de fumar traz diversos malefícios à saúde geral, todos nós sabemos. Problemas relacionados à insuficiência respiratória, aumento crônico da pressão arterial, crescimento nos riscos de ocorrer doenças cardiovasculares, maiores riscos de acidente vascular cerebral (AVC) são apenas alguns em uma lista muito extensa. Nestes problemas, também temos aqueles relacionados à saúde do homem.

Segundo o INCA, em 2021, cerca de  11,7% da população masculina acima de 18 anos era fumante. Este dado é ainda mais preocupante quando pensamos no número de pessoas que são fumantes passivos (respiram a fumaça de outras pessoas que fumam) e compartilham dos danos dos fumantes ativos. 

Se você acha que não consegue parar de fumar sozinho, procure ajuda médica. 

O cigarro dificulta ereções

Muitas pessoas desconhecem, mas o tabagismo afeta diretamente a saúde reprodutiva masculina, bem como o sistema urinário. Entre os problemas, podemos citar a disfunção erétil, problema relacionado com a maior chance de desenvolver aterosclerose em artérias, causando obstrução do fluxo sanguíneo para órgãos chaves, e principalmente a artéria peniana, não permitindo uma ereção rígida.

Isso ocorre porque o cigarro contém mais de 4 mil substâncias, das quais pelo menos 60 são comprovadamente tóxicas. Na sua conta recai a responsabilidade por cerca de 50 doenças, numa lista que ainda inclui hipertensão, AVC e até mesmo morte súbita. 

O cigarro reduz a fertilidade

Existem inúmeros estudos na literatura que comprovam que o cigarro pode alterar o volume de sêmen, além de prejudicar diretamente a sua qualidade, causando maiores taxas de motilidade de espermatozóides. Além disso, as pesquisas demonstram que fumar aumenta o número de leucócitos (células marcadoras de inflamação) presentes no sêmen.

Pessoas que fumam também possuem mais radicais livres de oxigênio no sêmen, que promovem uma situação conhecida como estresse oxidativo e podem estar relacionados ao aumento da fragmentação do DNA das células reprodutivas. Altos índices de DNA fragmentado podem indicar baixa capacidade de fecundação, aumento nas taxas de aborto e aumento no número de ciclos necessários de fertilização para se atingir a tão sonhada gravidez. É importante lembrar que fumantes passivos, com exposição excessiva ao cigarro, também possuem maior incidência dessas alterações.

O cigarro causa câncer na bexiga

 Um outro problema diretamente relacionado com o tabagismo, é o surgimento do câncer de bexiga. De acordo com o Inca, a estimativa de novos casos é de 10.640, sendo 7.590 em homens e 3.050 em mulheres, e o tabagismo pode aumentar o risco de uma pessoa ter câncer de bexiga em até 70%.

Analisando os efeitos do cigarro nos pulmões, rins, bexiga e sangue, órgãos que estão, de alguma forma ligados com a eliminação de impurezas do corpo, podemos entender que os químicos tóxicos do cigarro são absorvidos pelos pulmões, passam pela corrente sanguínea, são filtrados pelos rins e se unem à urina na bexiga, causando estragos pelo caminho. 

O principal sinal da presença de um tumor na bexiga é a hematúria, popularmente conhecida como sangue na urina, mas também podem ser notadas dor e urgência para urinar. O diagnóstico do problema pode ser feito por meio de exames como análise da urina ao microscópio, ultrassom, cistoscopia e biópsia. 

O tratamento envolve a remoção da parte do órgão afetada pelo tumor, o que pode ou não ser aliado com a quimioterapia, radioterapia ou mesmo a remoção total da bexiga, nos casos mais graves. Quanto antes for realizado o diagnóstico, maiores as chances de cura.  

O cigarro eletrônico também causa danos

Os cigarros eletrônicos têm explodido em popularidade, principalmente entre a população jovem. Estes produtos, porém, escondem um grande perigo para a população. Estes dispositivos se vendem com a ideia de serem mais “saudáveis” do que os cigarros comuns, entregando uma série de sabores diferentes para esconder os perigos da nicotina. 

Por serem relativamente novos, este cigarros ainda não possuem uma legislação para manter os níveis de segurança recomendados e poucos estudos que apontem seus malefícios para a saúde. 

Porém, os dados que vem surgindo demonstram que os “vapers” causam uma grande série de problemas, muitos deles em intensidade semelhante aos cigarro comuns, inclusive problemas relacionados com o aumento do risco de desenvolvimento de câncer, redução na libido e do desempenho sexual, além da disfunção erétil. 

Os famosos narguilés, também muito populares entre os jovens, também apresentam uma série de perigos para a saúde.