Câncer de Próstata – quais os sintomas?

A próstata é um glândula em formato de noz responsável pela produção do líquido seminal.

Como o nome indica, o câncer de próstata é o câncer que ocorre na próstata, uma glândula com formato de noz presente nos homens e responsável por produzir o fluido seminal que nutre e ajuda a transportar os espermatozóides. Este é um dos tipos mais comuns de câncer nos homens. 

Muitos cânceres de próstata crescem lentamente, sem dar sinais ou sintomas, permanecendo confinados à região desta glândula, onde não podem causar danos muito graves. Entretanto, em alguns casos, o crescimento das células cancerígenas pode ser expressivo com metástase – migração – para outras áreas do corpo. Quanto antes for detectado, maiores são as chances de um tratamento bem sucedido.

Sintomas

Geralmente, o câncer de próstata é silencioso, apresentando sintomas somente em seus estágios mais avançados. Entre os sinais, podemos destacar:

  •  Dificuldade para urinar;
  • Força diminuída no jato de urina;
  • Sangue na urina;
  • Sangue no sêmen
  • Perder peso sem tentar;
  • Disfunção erétil.

Marque uma consulta com seu urologista se apresentar qualquer um dos sintomas acima. Você pode entrar em contato com o Dr. Bruno Almeida aqui. 

Causas

Não está claro o que causa o câncer de próstata. Os médicos sabem que ele começa quando as células prostáticas desenvolvem alterações em seu DNA, iniciando um processo de divisão exacerbado, muito mais rápido que células saudáveis. Além disso, elas permanecem vivas, enquanto outras células defeituosas morreriam. 

Com esta divisão celular descontrolada, ocorre um acúmulo, formando o tumor, que pode crescer e invadir os tecidos próximos. Com o tempo, algumas dessas células podem se desprender e viajar pela corrente sanguínea, espalhando para outras regiões do corpo (metástase). 

Existem alguns fatores de risco que aumentam as chances de um paciente desenvolver câncer de próstata:

  • Idade – o risco aumenta consideravelmente após os 50 anos de idade;
  • Raça – por razões não determinadas, os negros possuem maior risco de desenvolver câncer de próstata do que pessoas de outras etnias. Além disso, estes pacientes têm maiores chances de que o câncer seja mais agressivo. 
  • Histórico familiar – se um parente próximo, como um pai ou irmão, foi diagnosticado com câncer de próstata, o risco aumenta. Famílias em que as mulheres têm histórico de câncer de mama também devem ficar alertas para os riscos do câncer de próstata. 
  • Obesidade – pessoas obesas podem ter um risco maior de câncer de próstata em comparação com pessoas consideradas com peso saudável, embora os estudos tenham apresentado resultados mistos. Em pessoas obesas, o câncer tem maior probabilidade de ser mais agressivo e retornar após o tratamento inicial.

Existem ainda as complicações causadas pelo câncer de próstata, sendo a metástase a pior delas. Os órgãos para onde o câncer costuma se espalhar são a bexiga e os testículos, mas o sistema linfático e até mesmo os ossos podem ser cometidos. Além disso, é sabido que a doença está relacionada com problemas de desempenho sexual e disfunção erétil.

Diagnóstico e Tratamento

Triagem para Câncer de Próstata

Testar homens saudáveis ​​sem sintomas de câncer de próstata é controverso. A maioria das organizações médicas incentiva os homens na casa dos 50 a discutir os prós e os contras do rastreamento do câncer de próstata com seus médicos. A discussão deve incluir uma revisão de seus fatores de risco e suas preferências sobre o rastreamento. Pacientes negros ou com histórico familiar de câncer de próstata podem considerar iniciar as discussões mais cedo.

Os testes de rastreamento da próstata podem incluir:

  • Exame retal digital (DRE). Durante uma DRE , o médico insere um dedo com luva, lubrificado em seu reto para examinar a sua próstata, que fica ao lado do reto. Se for encontrada qualquer anomalia na textura, forma ou tamanho da glândula, você pode precisar de mais exames.
O exzame de toque retal busca encontrar qualquer anomalia na próstata
  • Teste do antígeno específico da próstata (PSA). Uma amostra de sangue é retirada de uma veia do braço e analisada para PSA , uma substância produzida naturalmente pela próstata. É normal que uma pequena quantidade de PSA esteja em sua corrente sanguínea. No entanto, se um nível mais alto do que o normal for encontrado, pode indicar infecção da próstata, inflamação, aumento de volume ou câncer.

Se o rastreamento do câncer de próstata detectar uma anormalidade, seu médico pode recomendar mais testes para determinar se você tem câncer de próstata, como:

  • Ultra-som. Durante um ultrassom transretal, uma pequena sonda, do tamanho e formato de um charuto, é inserida no reto. A sonda usa ondas sonoras para criar uma imagem da próstata.
  • Imagem por ressonância magnética (MRI). Em algumas situações, seu médico pode recomendar uma ressonância magnética da próstata para criar uma imagem mais detalhada. As MRI podem ajudar a planejar um procedimento para remover amostras de tecido da próstata.
  • Coletando uma amostra de tecido da próstata. Para determinar se há células cancerosas na próstata, seu médico pode recomendar um procedimento para coletar uma amostra de células de sua próstata (biópsia da próstata). A biópsia da próstata geralmente é feita com uma agulha fina inserida na próstata para coletar o tecido. A amostra de tecido é analisada em um laboratório para determinar se as células cancerosas estão presentes.

Depois que o diagnóstico de câncer de próstata é feito, o médico trabalha para determinar a extensão (estágio) do câncer. Se o seu houver suspeita que o câncer possa ter se espalhado além da próstata, um ou mais dos seguintes exames de imagem podem ser recomendados:

  • Cintilografia óssea;
  • Tomografia computadorizada (TC);
  • Imagem de ressonância magnética (MRI);
  • Tomografia por emissão de pósitrons (PET).

Tratamento

As opções de tratamento do câncer de próstata dependem de vários fatores, como a velocidade de crescimento do câncer, se ele se espalhou e sua saúde geral, bem como os benefícios potenciais ou efeitos colaterais do tratamento. Por exemplo, em casos de baixo grau de intensidade, o tratamento imediato pode nem ser necessário. Em vez disso, os médicos recomendam vigilância ativa. 

Na vigilância ativa, exames regulares de sangue, exames retais e biópsias de próstata podem ser realizados para monitorar a progressão do câncer. Se os testes mostrarem que seu câncer está progredindo, o tratamento é iniciado.

A prostatectomia remove a próstata e alguns tecidos circundantes a ela, bem como alguns nódulos linfáticos. A cirurgia é uma opção para o tratamento do câncer confinado a esta glândula ou em combinação com outros outros tratamentos para um estágio mais avançado da doença.

Uma outra opção de tratamento é a radioterapia, que usa energia de alta potência para matar as células cancerígenas. Ela pode envolver:

  •  Radiação que vem de fora do corpo (radiação de feixe externo): durante a radioterapia por feixe externo, o paciente deita-se em uma mesa enquanto a máquina de radioterapia move-se ao redor de seu corpo, direcionando feixes de energia de alta potência, como Raio-x e prótons, para combater o câncer confinado à próstata. 
  • Radiação colocada dentro do corpo (braquiterapia): a braquiterapia envolve a colocação de fontes radioativas no tecido da próstata. Na maioria das vezes, a radiação está contida em pequenas sementes que são inseridas no tecido da próstata e fornecem baixas taxas de energia por um longo período de tempo. A braquiterapia é uma opção para tratamento de câncer que não se espalhou para além da próstata. 

A quimioterapia usa drogas para matar células de crescimento rápido, incluindo células cancerosas. Ela pode ser administrada através de uma veia do braço, na forma de pílula ou em ambos. Esta pode ser uma opção de tratamento para o câncer de próstata que se espalhou para outras áreas do corpo, também sendo indicada para cânceres que não respondem à terapia hormonal.

O câncer de próstata é uma condição que ainda envolve muitos mitos e mistérios, o que atrapalha a sua prevenção. Muitos homens sentem vergonha de falar sobre o assunto por acreditarem que os exames – especialmente o exame de toque retal – reduz a sua masculinidade, o que não poderia estar mais distante da verdade. A prevenção ainda é a melhor maneia de evitar o que seria uma “epidemia” de câncer de próstata, reduzindo significativamente o número de mortes pela doença.

Se você tem mais de 50 anos de idade, possui histórico de câncer na família ou acredita que possa estar apresentando algum sintoma, converse com o seu urologista para fazer os exames preventivos. Você pode agendar uma consulta com o Dr. Bruno Almeida aqui